quinta-feira, 26 de março de 2009

RESUMO DO TEXTO: CAP3: OS ÍNDIOS CEARENSES 3.3 A GUERRA DOS “BÁRBAROS” .3.4 MONTES E FEITOSA

A GUERRA DOS “BÁRBAROS”.

A guerra dos bárbaros é uma confederação entre índios Tapuias, como baiacus, Icós, Anacés, Acriús, Canindés, Jenipapos, Trernembés, Quixelôs, Jaguaribaras, Arariús, Crateús, Janduins e outras inimigas entre si se uniram para combater um mal maior: o homem braço.

Do final do séc XII ao segundo década do próximo, com mais de trinta anos durando essas batalhas a destruir tudo o que os invasores europeus construíam, nos Estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí, Parnaíba e Ceará.

Combateram tropas vinda até de São Paulo com Matias Cardos, João amaro Maciel, Domingos Jorge Velho, Fernão Carrilho, Manuel Alves de Morais Navarro e João de Barros Braga.

Combateram os europeus que a seu lado tinham até tribos inteiras dominadas e “amansadas”, escravos e criminosos que teriam suas penas perdoadas ou amenizadas.


MONTES E FEITOSA

Duas famílias chegadas ao Ceará em conflito, uma vinda de Alagoas, os Montes, a outras advinda de Sergipe. Por volta de 1710 a 1720 se envolveram em confronto, cometiam incêndios, assassinatos de índios e vaqueiros, saques, emboscadas e confronto aberto.

José Mendes Machado, interventor do Ceará, o Tubarão, tomou o partido dos Feitosa. Formou aliança com Francisco e Lourenço Feitosa para capturar Francisco Monte no Crato (ou Cariri Novo) e saquearam, os Montes, seqüestrando mulheres e negros e assassinando.
Os Monte uniram-se aos índios Inhamuns e os Feitosa aos Jucás, jenipapos e Cariús. Manuel Francês, chefe da capitania interveio em 1725, quando a guerra se amenizou. Ao que tudo indica os Feitosa continuaram ricos e os Monte empobreceram. Mas os perdedores de fatos foram os indígenas que nada tinha a ver com a questão.

PLAGE ANGEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário